.............................................................................................................................................................


Notícias e Artigos

27/12/2007 - Combustíveis, telefone e ônibus pressionam inflação de dezembro
Janaina Lage
da Folha Online, no Rio


O IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo - 15) avançou para 0,84% em dezembro. Em novembro, o índice havia apurado alta de 0,63%. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a maior pressão nos preços foi motivada pelo aumento dos combustíveis, pelas tarifas de telefonia fixa e pela passagem de ônibus urbanos.

Em dezembro, a gasolina ficou 3,45% mais cara para o consumidor em razão do segundo reajuste autorizado pela Petrobras neste segundo semestre, anunciado no dia 25 de novembro. O primeiro aumento autorizado pela estatal foi divulgado no dia 14 de outubro.

A gasolina, no entanto, não foi o único combustível a pressionar o índice. O aumento adotado pelas usinas tornou o álcool 8,64% mais caro.

O aumento da tarifa de ônibus urbanos em quatro capitais (Belo Horizonte, Recife, Belém e Fortaleza) também contribuiu para elevar o IPCA-15 deste mês. A passagem teve reajuste de 1,74%, em média. Algumas capitais seguraram os reajustes dos preços da passagem para depois das eleições neste ano.

A segunda parcela do reajuste autorizado pela Justiça para correção do indexador dos contratos de telefonia fixa fez a tarifa subir 1,89% em dezembro. O aumento tem o objetivo de corrigir a diferença entre o IPCA e o IGP-DI.

Os artigos de vestuário subiram 1,13%. Segundo o IBGE, gasolina, álcool, ônibus urbanos, telefone fixo e vestuário foram responsáveis por 0,45 ponto percentual da taxa deste mês, pouco mais da metade do índice.

Outros aumentos expressivos neste mês foram os do cigarro (2,71%), do conserto de automóveis (2,16%), de empregados domésticos (1,13%) e do gás de cozinha (3,31%).

O grupo alimentação registrou alta de 0,19%, com o aumento do preço das carnes, de 3,31%. Em novembro, ele havia registrado deflação de 0,05%.

O maior resultado apurado entre as regiões foi o de Belo Horizonte (1,51%) e o menor, de Fortaleza (0,58%). O Rio de Janeiro registrou alta de 0,69% e São Paulo, de 0,73%.

Os preços foram coletados entre 12 de novembro e 10 de dezembro.




Afonso Advogados Associados | Mapa de Localização | Notícias| Integrantes | Contatos

© Copyright 2004 - Afonso Advogados Associados- Todos os direitos reservados.